sábado, 29 de janeiro de 2011

SESSÃO INCIDENTAL: De Mircalla, de vampiros e amantes.

O cinema de horror, sempre foi uma das minhas principais fontes de pesquisa e inspiração para a arte sequencial e alguns rascunhos de contos que costumo escrever. E os filmes sobre a lenda vampírica, o meu tema favorito. Na presente postagem, gostaria de falar algo sobre três filmes que foram adaptados da criação de Sheridan Le Fanu, "CARMILLA", obra que, ao lado de DRACULA de Bram Stoker tem um destaque maior na literatura de horror gótico. O livro fala das aventuras terriríficas da Condessa Mircalla Karnstein, cujo nome é disfarçado sob os pseudônimos de Millarca ou Carmilla, que dá título à obra. No cinema, três filmes tiveram boa repercussão e relativo sucesso ao longo dos anos 60 e ínicio dos 70 no século passado. Para citar, BLOOD AND ROSES [Sangue e Rosas], 1960 de Roger Vadim, com Mel Ferrer, Elza Martinelli e Anette Vadim. Uma produção requintada que teve duas versões, uma americana, que contém uma cena impagável [um pesadelo] que infelizmente foi cortada da edição européia. Apesar das cópias com imagens não muito boas que podem ser encontradas na internet, o visual é belíssimo e onírico e com certeza inspirou muitos outras produções que vieram posteriormente. Altamente recomendável. 
Outra boa adaptação de CARMILLA é THE CRYPT OF THE VAMPIRE [La Cripta e l"incubo]1964, de Camillo Mastrocinque, estrelada pelo rei dos vampiros, Sir Christopher Lee e Adriana Ambesi. Na presente versão temos Lee como o Conde Karnstein, cuja filha é atormentada por uma maldição secular que caiu sobre sua família. É uma produção com todos os detalhes que pontuaram o cinema gótico feito na Itália dos anos 60, com boa fotografia, belos cenários e ótima atmosfera. Apesar de datado e um tanto lento na narrativa, os amantes da obra de Mario Bava e Antonio Margheritti não se decepcionarão. É um dos meus góticos favoritos. 
A terceira obra a ser citada é o belo THE VAMPIRE LOVERS [Os Amantes Vampiros] 1970 da Hammer, que tem uma versão mais fiel do livro de Le fanu, com um visual bem ao estilo que marcou a Hammer em sua grande forma. Com Roy Ward Baker na direção, Ingrid Pitt [com o visual mais marcante de Mircalla Karnstein] e Peter Cushing no elenco, como não poderia resultar numa bela adaptação? Eu até rascunhei um pequeno pin-up à lápis para esta postagem, ao lado de imagens dos filmes aqui citados, contendo elementos do filme da Hammer e algum outro personagem à parte, como esboço de uma história gerada do filme de 1970. 
Os filmes desta postagem estão todos na net à disposição nos sites cujos endereços estão postados aqui no blog e as legendas dos dois primeiros foram feitas por mim. Sendo que, o terceiro foi lançado no Brasil com cópia sofrível e título ridículo de CARMILLA, VAMPIRA DE KARNSTEIN... eu hein? Comentem, por favor.







Nenhum comentário:

Postar um comentário