terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

IN MEMORIAM - JOHN BARRY 1933 - 2011


Dentre todas as artes, o cinema é talvez a minha maior paixão. E desde que comecei a curtir essa, que já foi chamada de maior diversão, o que mais me cativou foi o impacto das trilhas sonoras. Principalmente as dos westerns, que coleciono até hoje, especialmente do meu ídolo maior, Ennio Morricone. Mas, nunca me esquivei de deleitar-me com os maravilhosos scores de Miklos Rosza, Victor Young, Henry Mancini e outros mais. Porém, John Barry foi o primeiro grande compositor de trilhas que eu aprendi a cultuar. E isso foi quando vi um dos meus primeiros filmes na telona, Born Free, A História de Elza. Quando vi vários anos depois Dances With Wolves, principalmente na famosa cena da caçada aos búfalos, John Barry me emocionou novamente com a força de sua música. Como músico, não posso deixar partilhar a sensibilidade da inspiração sonora de um compositor de mão cheia como ele. E Barry sempre me fez sentir a mesma emoção de garoto num cinema dos saudosos anos 60 em cada uma de suas criações. Nascido na Inglaterra, em 3 de novembro de 1933, John Barry ganhou fama como líder do grupo The John Barry Seven, mas foi seu trabalho compondo trilhas sonoras dos filmes do agente secreto mais famoso do mundo que o projetou para o grande público e fez dele um cult entre os cinéfilos.


"Meu nome é Bond, James Bond." Impossível não associar esta frase às trilhas que John Barry compôs para 11 filmes de 007. Sergio Leone disse uma vez que foi a  música de Morricone que deu voz às imagens de seus filmes. Sendo assim, John Barry deu vida a James Bond com seus scores. E suas composições são as melhores de toda a série, tornando-se uma marca registrada, tão forte quanto a imagem de Sean Connery, a ponto de os fãs esperarem a cada pré-produção, uma novíssima e eletrizante trilha composta por ele. Todas são inesquecíveis, mas, GOLDFINGER, THUNDERBALL e a minha preferida, YOU ONLY LIVE TWICE, definiram a característica sonora da série. E John Barry não se limitou a James Bond. MIDNIGHT COWBOY através da belíssima voz de Johnny Mathis é algo que faz parte do meu caminho. E o último e inacabado filme de Bruce Lee, THE GAME OF DEATH, teve uma excelente trilha criada especialmente para ele, tão boa quanto a de Lalo Schffrin em OPERAÇÃO DRAGÃO. Compondo para vários gêneros de cinema, Barry foi o merecido ganhador de cinco estatuetas em Hollywood por suas obras e recebeu o prêmio especial Bafta (Oscar britânico) em 2005. Na tv deixou também sua marca, uma bela música para a inesquecível série PERSUADERS com Roger (007) Moore e Tony Curtis. Sua morte no último Domingo, dia 30 de Janeiro em New York, de ataque cardíaco, causou-me um grande pesar como fã e admirador e trouxe-me uma nostalgia imensa, de um tempo quase imemorial quando ler Seleções do Rider's Digest ou qualquer autor que valesse a pena e até mesmo HQs, ouvindo música de excelente qualidade e trilhas sonoras, em meio à turbulência sessentista do século 20, fazia toda a diferença. Coisa que a breguice nossa de hoje em dia nunca vai saber o que significa. Oh, Deus, dai-me paciência!...
 
God Bless You, John. I'm so happy for you be part of my time... R.I.P.

Eis aqui um belo tributo:
http://www.youtube.com/watch?v=wBkqdorajHY&feature=related



6 comentários:

  1. Parabéns pela postagem. Voce foi muito feliz em prestar esta merecida homenagem a este grande Mestre e espelho para tantos outros.
    Bravo!!

    bangbangitaliana.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Opa, obrigado pela visita, meu caro Sanches. Eu fico feliz em vê-lo por aqui. Seu blog tem muito a ver com uma de minhas maiores paixões no cinema, o western italiano, o qual venho cultuando desde os anos 70. E eu já estou passeando pelo seu belo e sofisticado espaço há algum tempo. Parabéns você também pela riqueza de opções que há no seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito da trilha de BODY HEAT, que tenho em CD e não me canso de ouvir. Possivelmente a melhor trilha de um policial noir, ao lado da trilha de CHINATOWN. Uma perda lastimável, sem dúvida - mais uma! Parabéns pelo post, Cayman!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Carlos, meu velho amigo. Com seu comentário aqui ao lado do que foi postado por Sanches este post está fadado mesmo a brilhar...

    ResponderExcluir
  5. ESTIMADO CAYMAN..OBRIGADO POR ESTA HOMENAGEM AO MAIOR MUSICO QUE MEUS OUVIDOS ESCUTARAM...
    JOHN BARRY- FOI UM DOIS MAIORES {junto com ennio morricone}e NAS TRILLAS DA MINHA SERIE FAVORITA - 007 - APRENDI A CONHECER AO HOMEM, QUE COM O SEU TRABALHO...AINDA CONTINUA E CONTINUARA , ATE EU MORRER, ...ELE E "A TRILHA SONORA DA MINHA VIDA"...!!

    ESCUTO AS MAIS DE 300 MUSICAS DELE QUE TENHO NO MEU IPOD....TODOS OS DIAS..!!!

    SE UM DIA ME PREGUNTARIAM....QUE PASSOA EU QUERIA TOMAR UM CAFE E CONVERSAR.??NESTE MUNDO..?.NAO DUVIDARIA .ESSE SERIA
    .. JOHN BARRY...!!!CUANTO TALENTO E BOM GOSTO ..!! MUSICAS ,CUASI , DESCONHECIDAS COMO....007 AND COUNTING...GOLDEN GIRL..GASSING THE GANGSTERS ....
    MAGIC'S MUSICS...AND MORE 300 , BARRY MADE ....I WILL NEVER FORGET THIS MUSIC'S AND HIS FATHER....JOHN BARRY.!!!!! R I P .

    MANY THANKS TO ALL..!!

    OSCAR MASSA.

    ResponderExcluir
  6. Obrigado a você, Oscar, por visitar meu blog e o parabenizo pelo bom gosto musical também. John Barry está vivo para sempre, pois, as criaçoes do homem são a própria imagem do homem. E estas são como James Bond e os diamantes: eternos.

    ResponderExcluir